A internet das coisas (IoT) já é uma realidade: são 174 milhões de casas inteligentes, 1,2 bilhão de devices e uma expectativa de gastos de US$ 546 bilhões com essas soluções somente esse ano, segundo dados da Gartner e do IDC. Um dos grandes desafios que temos hoje em relação à IoT é como integrar algumas soluções já implementadas para entregar mais valor para o cliente e realmente fazer diferença na vida das pessoas.

A internet das coisas vai ser realmente relevante quando, mais do que participar na rotina cotidiana das pessoas, estas soluções conseguirem expandir o conhecimento das pessoas sobre as tais “coisas” com as quais elas interagem. Eu posso ter, por exemplo, uma solução para me informar que eu não estou dormindo muito bem. Mas, ainda melhor que isso seria ter uma solução que possa me explicar, me ensinar, o que eu posso fazer para dormir melhor. Se os benefícios ficarem claros e se forem simples, as pessoas vão adotar a internet das coisas cada vez mais.

O segredo é integrar soluções usando dados de um jeito inteligente. É se dar conta de como as coisas funcionam sob a perspectiva do consumidor antes de desenhá-las. E também é descobrir quais soluções relacionadas já temos para “completar” a experiência como um todo. É sobre construir coisas que falam com outras coisas, falando a mesma língua. Algumas palavras-chave: integração, API, standardização, conectividade.

A internet das coisas é mais do que simplesmente “coisas”. É sobre como interagimos com o mundo. E para nós, pessoas que trabalham com tecnologia, esse nosso compromisso com a sociedade está ficando cada vez mais claro!

Solange Sobral,  diretora de negócios da CI&T. Formada em Ciência da Computação pela UFSCar, com Mestrado em Computação pela UNICAMP, está em Austin acompanhando o SXSW 2016.

Fonte: TI Inside